Aprenda a fazer um planejamento financeiro anual

Organização, pesquisa e muita atitude fazem a diferença na hora de organizar como vai ser o ano financeiro da sua família

Escrito por HDI Seguros 18/01/2021

Todo começo de ano é sempre a mesma conversa: conta pra cá, conta pra lá, material escolar de um lado, impostos do carro do outro e por aí vai. Sem o devido planejamento, é fácil cair no rotativo do cartão ou mesmo esquecer de pagar um boleto importante. Para que esse dilema anual não se repita, que tal caprichar no planejamento financeiro neste início de ano?

Antes de tudo, é importante entender como essa ferramenta pode ser útil para as finanças do lar. O planejamento financeiro é uma maneira de organizar suas despesas de forma inteligente e funcional, tente imaginar tudo como se fosse uma empresa. Isso significa que ela tem custos fixos e variáveis, além de contar com uma receita fixa. Depois, é importante perceber que a organização das contas não está relacionada à quantidade de renda, mas sim ao uso consciente desses recursos.

Para alcançar bons resultados, primeiro capriche no engajamento de todos, pois cada membro pode ter uma visão diferente do dinheiro e oferecer novas ideias de como ele deve ser administrado. Com tudo esclarecido, podemos seguir em frente em direção as dicas! A primeira delas é ter anotado na ponta do lápis todas as suas despesas em um papel ou planilha. Ter uma noção geral ajuda a entender o todo e facilita os passos seguintes.

Lembre-se de separar tudo em dois tipos de despesas: as fixas e as variáveis. As primeiras são gastos constantes, como água, luz, condomínio, internet e alimentação. As outras são as que variam de acordo com o mês, como lazer, viagens, passeios, vestuários, etc. Uma boa dica é separar seu orçamento guiando-se pelo princípio de gastar até 35% da renda em despesas variáveis e 50% nas fixas.

Embora imprevistos aconteçam, tenha em mente que é necessário colocar no planejamento uma parte desse dinheiro para qualquer emergência. Outra dica, é concentrar entre 10% a 15% do geral para criar uma reserva que cubra esses momentos.

Lembre-se que o planejamento deve ter uma meta ou objetivos. Que seja guardar um montante específico de dinheiro ou mesmo uma viagem especial para outro país. Ter objetivos, ajuda no dia a dia para se concentrar nos gastos diários. É bacana ter mais de um objetivos, talvez divididos por curto, médio e longo prazos.

Outro detalhe importante é zerar as dívidas. Se você começou o planejamento no vermelho, é fundamental ter como principal objetivo zerar qualquer dívida. Renegocie se for o caso, mas lembre-se sempre de ter o foco de quitar qualquer compromisso. E, claro, sempre que possível, não aumente suas dívidas, tente sempre pagar à vista e evite o uso do rotativo do cartão de crédito.

E por último, lembre-se que hoje em dia, com as fintechs e os bancos digitais, é muito simples investir seu dinheiro. Nem que sejam valores muito pequenos, há sempre um jeito de fazer aquele montante render mais. Portanto, não fique parado, bote a preguiça para correr e capriche na gestão correta dos recursos do seu orçamento!

Fonte: