Por que a diversidade no ambiente de trabalho importa?

Entenda como a diversidade pode gerar ótimos frutos para a empresa e para a sociedade.

Escrito por HDI Seguros 20/07/2020

A diversidade de gênero, étnica-racial, LGBTQI+ e de Pessoas com Deficiência (PCD) presente no ambiente de trabalho aumenta exponencialmente as oportunidades no mercado para a população que ocupa esses lugares e pode gerar um ciclo bastante benéfico, não só para a empresa, mas para a sociedade como um todo.

Não é de hoje que esse tema vem ganhando força no mundo corporativo. O estudo “O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil”, realizado em 2014 pela PwC, empresa global de consultoria e auditoria, em parceria com a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da FGV (EAESP-FGV), apontou que mudanças demográficas compõem uma das quatro megatendências transformadoras para os negócios.

O que “garante maior acesso da população a recursos de infraestrutura educacional, tecnológica e cultural que tendem a contribuir para a melhoria contínua na formação educacional da força de trabalho e no seu acesso à informação, e gera mudanças não apenas nas suas qualificações, mas também nas suas atitudes em relação ao trabalho e carreira. ”

Neste ano, o Guia Exame de Diversidade, iniciativa da revista Exame em parceria com o Instituto Ethos, mostrou que os motivos pelos quais as empresas buscam um time de colaboradores mais diverso estão relacionados à busca por resultados positivos em melhoria no clima organizacional, aumento da produtividade, atração e retenção de talentos, pesquisa e desenvolvimento de produtos e serviços. E têm alcançado.

O cenário ideal, no entanto, demanda um trabalho de formiguinha, esforços diários do macro ao micro que têm relação direta com hierarquia, pois as organizações não são pensadas para lidar com a complexidade da vida, conforme afirma Reinaldo Bulgarelli, secretário executivo do Fórum de Empresas e Direitos LGBTQI+. Portanto, “os entraves ficam menores quanto maior a vontade política”, complementa. E então, os resultados positivos começam a aparecer.

Um levantamento de 2019 realizado na América Latina pela consultoria McKinsey revelou que empresas que promovem igualdade de gênero em cargos de liderança tendem a aumentar o resultado financeiro em 25% comparadas às empresas que não a promovem, por exemplo. Ainda segundo a McKinsey, empresas que investem na diversidade étnico-racial lucram até 36% mais do que as que não o fazem.

Para além disso, idealmente a implantação dessas iniciativas nas empresas acaba trazendo uma série de ações que buscam a conscientização de todo o time sobre a complexidade das questões pessoais enfrentadas diariamente na sociedade por mulheres, negros, LGBTs e pessoas com deficiência, normalmente por meio de palestras e eventos, anteriormente, e hoje, encontros digitais.

Todas essas questões nos inspiraram a criar  o programa #TodosJuntos, por meio do qual buscamos cada vez mais profissionais pertencentes dessas categorias para seguir conosco no dia a dia.

Fonte: